Aluguer de carros

Nosso objectivo é ajudá-lo a encontrar os melhores preços em aluguer de carros.
Quando você reservar carros de aluguer online, muitas vezes você irá obter taxas muito mais baratas do que se você reservar directamente através da agência de aluguer de carros.

Experimente também

Pesquisa artigos

Portagens electrónica - como pagar os SCUTS

Embora já existe em Portugal há quase 6 anos, o sistema de portagens electrónicas nas chamadas ex-SCUTS, ainda causa alguma confusão no que diz respeito às formas de pagamento, principalmente a quem as utiliza pela primeira vez.

Saiba como regularizar o pagamento das vias com portagens electrónicas, por forma a evitar coimas.

O que são as ex-SCUTS?
O termo ex-SCUTS refere-se as auto-estradas e vias rápidas que existiam em Portugal no modelo de via Sem Custos para o Utilizador, em que o estado concedia o direito de exploração de estradas a um operador/empresa privada, sendo essa responsável pela construção e manutenção das vias e a pagar ao estado uma renda calculada à base do número de viaturas que utilizam as mesmas.

Neste modelo, o custo da utilização da estrada não era suportado directamente pelos condutores que nela circulavam. A ‘portagem virtual’, por assim dizer era regularizada entre o estado e o concessionário da autovia em questão.

Em 15 de Outubro 2010, este modelo deixou de existir, assumindo o Estado a responsabilidade directa pela manutenção das estradas que passaram a ser pagas directamente pelos utilizadores.

Como, na maior parte dos casos, a infra-estrutura existente não permitiu a colocação das portagens físicas nas, agora, ex-SCUTS, foi implementado o sistema de portagens electrónicas que registam a matrícula da viatura e/ou reconhecem o sinal do identificador Via Verde.

Portagem exScuts
A estrutura de uma portagem electrónica. Será avisado que está a aproximar-se a uma portagem electrónica através da sinalização ao longo da estrada.

Formas de pagamento das portagens electrónicas
Sempre que o veículo a circular na estrada com portagem electrónica está equipado com um identificador Via Verde, o pagamento da portagem é efectuado automaticamente.

Os condutores sem o Via Verde que passem na portagem, devem efectuar o pagamento numa estação dos CTT ou em qualquer agente PayShop, identificando a matrícula do carro.

A parte potencialmente problemática desta forma de pagamento, para além de ter que se deslocar fisicamente aos correios, são os prazos de pagamento a ter em conta. Por razões logísticas a referência para pagamento só se encontra disponível nos CTT alguns dias depois de utilizar a portagem.

O prazo para efectuar o pagamento é de 5 dias uteis – a partir do dia da entrada no sistema da referência para pagamento e não da efectiva utilização da ex-SCUT. A operadora das ex-SCUTS, a ASCENDI, disponibilizou a seguinte tabela a esclarecer qual o prazo de pagamento das portagens:

Tabela

Os pagamentos não efectuados dentro do tempo previsto resultam numa notificação sobre o valor em dívida enviada para a morada em que a viatura se encontra registada. Nesta instância, ao valor das portagens juntam-se também custos adicionais de 2.21 eur por cada viagem.

Caso o valor indicado não seja regularizado nos prazos previstos, o processo é transferido para a Autoridade Tributária e Aduaneira, resultando em coima e um processo de execução fiscal que pode passar pela penhora dos bens.

Poupe com Via Verde
A maneira mais fácil de evitar o incómodo de ter que se deslocar às estações  CTT ou Pay Shop  para efectuar o pagamento depois de utilizar as ex-SCUTS, ou de ter suportar multas por falta do pagamento dentro do prazo indicado é adquirir o indentificador Via Verde.

O custo do aparelho de 27,50 EUR pode não parecer pouco, mas para quem costuma circular nas ex-SCUTS poderá ser facilmente compensado, já que a utilização das portagens electrónicas sem o mesmo, encarece em 0.32 euro por cada viagem, até ao total de 2.08 euro por pagamento.

Entre as outras vantagens do indentificador Via Verde está a o facto de não necessitar de ter consigo dinheiro, nem cartões bancários, sendo que o valor devido é debitado directamente da conta bancária associada.

Ao utilizar o Via Verde ganhará tempo não só nas portagens, mas também numa rede extensa e cada vez mais abrangente das identidades aderente, entre as quais encontram-se parques de estacionamento, bombas de gasolina Galp e alguns dos restaurantes da rede McDonald’s.

As o termo ex-SCUTS refere-se as auto-estradas e vias rápidas que existiam em Portugal no modelo de via Sem Custos para o Utilizador, em que o estado concedia o direito de exploração de estradas a um operador/empresa privada, sendo essa responsável pela construção e manutenção das vias e a pagar ao estado uma renda calculada à base do número de viaturas que utilizam as mesmas.

Neste modelo, o custo da utilização da estrada não era suportado directamente pelos condutores que nela circulavam. A ‘portagem virtual’, por assim dizer era regulada entre o estado e o concessionário da autovia em questão.

Em 15 de Outubro 2010, este modelo deixou de existir, assumindo o Estado a responsabilidade directa pela manutenção das estradas que passaram a ser pagas directamente pelos utilizadores. Como, na maior parte dos casos, a infra-estrutura existente não permitiu a colocação das portagens físicas nas, agora, ex-SCUTS, foi implementado o sistema de portagens electrónicas que registam a matrícula da viatura e/ou reconhecem o sinal do identificador Via Verde.

Onde existem ex-SCUTS em Portugal?
As ex-SCUTS com a maior utilização em Portugal são:

  • Auto-Estrada Transmontana A4
  • Auto-Estrada do Litoral Centro A17
  • Via do Infante A22
  • Auto-Estrada da Beira Interior A23
  • Auto-Estrada do Interior Norte A24
  • Auto-Estrada da Beira Litoral e Alta A25
  • Auto-Estrada do Litoral Norte A28
  • Auto-Estrada da Costa da Prata A29
  • CREP A41
  • Auto-Estrada do Oeste do Porto A42

Veja o mapa das ex-SCUTS em Portugal. 


Portagens electrónica - como pagar os SCUTS
Artigo: Portagens electrónica - como pagar os SCUTS
Temas: , , , ,

Envie-nos comentários ou sugestões sobre este artigo

Send kommentar